Prazo foi definido pelo MP, que teme pela segurança de passageiros na rodovia. Empresas de ônibus defendem faixas de desaceleração

O prazo estabelecido pelo Ministério Público para que seja apresentada proposta sobre as paradas de ônibus suburbanos às margens da rodovia Washington Luís, no perímetro urbano de Rio Preto, termina nesta sexta-feira. A Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo) recebeu ofício do promotor Carlos Romani no fim do ano passado. O Ministério Público teme pela segurança dos passageiros que desembarcam e embarcam às margens da rodovia.

Uma equipe de engenharia da Artesp esteve na semana passada fazendo levantamento técnico no trecho. O jornal BOM DIA apurou que a Artesp está analisando duas propostas. Ambas teriam de receber o aval da prefeitura.

O secretário de Trânsito de Rio Preto, Rui Giorgi, disse que não aceita liberar a marginal da rodovia para os ônibus. Segundo ele, os ônibus provocariam estrangulamento no trânsito nos acessos à cidade, avenidas Alberto Andaló e Bady Basssitt.

As empresas que operaram na região defendem que a concessionária da rodovia Triângulo do Sol construa faixas de desaceleração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui