Desde o dia 7 a Controladoria Geral da União de Santa Catarina traça um panorama das rodovias federais do Estado. Com uma câmera de vídeo, máquina fotográfica, um aparelho de localização por satélite e equipamentos de medição, dois engenheiros percorrerão mais de 3 mil quilômetros de asfalto – com alguns pontos esburacados – em menos de um mês. O objetivo é filmar e diagnosticar todos os trechos das cinco estradas federais que cruzam Santa Catarina: BR-101, BR-116, BR-153, BR-282 e BR-470.

Com base nas imagens coletadas pelo engenheiro Francisco Bezerra, e nas análises de Jean Gevaerd, o órgão pretende verificar se o dinheiro público destinado para tapar os buracos e melhorar a sinalização nas vias foi bem aplicado. – Queremos criar um padrão para as contratações futuras – avisa Nivaldo Germano, chefe da Controladoria Geral da União em Santa Catarina. As obras emergenciais do DNIT/SC já começaram e devem terminar no fim de abril. Ao contrário da maior parte do país, o Departamento daqui ainda mantém contratos de licitação em vigência. A situação adiantou o processo de reparos.

Nos demais estados, tiveram de ser feitos contratos em caráter urgente. No total, pouco mais de R$ 10,5 milhões dos cofres públicos foram direcionados para consertar 1.725,4 quilômetros de vias federais em Santa Catarina. A comparação do antes e depois será realizada em junho. Mais uma vez, a dupla de engenheiros pega a estrada com o material de registro para vistoriar as novas condições das rodovias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui