O Governo Federal quer aumentar a quantidade de lombadas eletrônicas nas rodovias federais. De 298 equipamentos o número deve ir para 800 nos próximos anos, mas por enquanto, as lombadas instaladas nas BR´s estão sem funcionar. O contrato com a empresa que operava o sistema terminou em 2005.

Segundo um levantamento feito pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) os redutores eletrônicos de velocidade diminuíram em 69% o número de acidentes nas rodovias federais. Em 1999, um ano antes da instalação dos aparelhos, foram registrados 3.600 acidentes. Em uma outra pesquisa, feita em 2003, foram 1126 acidentes.

O contrato com o consórcio de segurança nas estradas que opera os equipamentos terminou no ano passado. As lombadas eletrônicas pararam de funcionar. Mesmo assim, o Dnit decidiu manter as estruturas com a intenção de educar os motoristas. Quem passa pelas lombadas, mesmo sabendo que estão desligadas, prefere não arriscar.

As 298 lombadas eletrônicas instaladas em todo o país custam ao governo cerca de R$7 milhões por mês. De acordo com o setor de operações rodoviárias do Dnit o serviço não é pago por multas.

Ainda este mês deve ser publicado o edital para concorrência pública e contratar uma nova empresa que irá tomar conta dos aparelhos. Com a nova licitação o número de lombadas deve aumentar para 800 nos próximos cinco anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui