A recuperação dos 4 mil quilômetros das rodovias federais no Rio Grande do Sul -que terão um investimento de R$ 115 milhões do governo federal – iniciou de maneira tímida. Os técnicos do Departamento Nacional de Infra- estrutura em Transportes (Dnit/RS) inspecionaram as rodovias, enquanto as empresas iniciaram a montagem dos canteiros de obras e a colocação de asfalto em trechos das BRs 287 entre São Vicente do Sul e São Borja, passando por Santiago num total de 230 quilômetros; a BR-386 de Sarandi a Iraí na divisa com Santa Catarina (134 quilômetros), e BR-293 entre Santana do Livramento e Quaraí, cerca de 90 quilômetros.

O coordenador do Dnit/RS, Marcos Ledermann, informou que a recuperação da BR-472 entre Boa Vista do Buricá e Santo Cristo num total de 70 quilômetros deve iniciar ainda esta semana. “Os trabalhos de recuperação das estradas serão intensificados em duas ou três semanas”, destacou o diretor.

Na BR-293, pelo menos 15 funcionários estiveram na estrada inspecionando os problemas e começaram na manhã de ontem a colocação de asfalto nos pontos mais críticos, no trecho que liga Santana do Livramento a Quaraí. Amanhã, devem iniciar os trabalhos no trecho de 90 quilômetros que separam Bagé do trevo de acesso à BR-158 em Santana do Livramento. Serão recuperados 40 quilômetros que se encontram em situação precária.

As máquinas também apareceram na pista em alguns trechos da BR-287, na Região Central do Estado. Segundo o Dnit, os trabalhos não deverá receber reforço porque os reparos já havia iniciado em dezembro. Ontem, uma equipe formada por 15 funcionários estava no trecho de Santiago. O trecho de 230 quilômetros entre São Vicente do Sul e São Borja é considerado por Ledermann como um dos piores do Rio Grande do Sul. O diretor do Dnit/RS afirmou que até o final desta semana todos os trechos previstos para recuperação estarão em obras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui