Um congestionamento de pelo menos seis quilômetros marcou o início da operação tapa-buracos do governo federal na BR-101, no Rio de Janeiro. Os veículos demoravam, em média, 30 minutos para percorrer o trecho no sentido Manilha-Rio Bonito. O tráfego ficou complicado durante todo o dia na altura de Manilha (município de Itaboraí, na região metropolitana), onde uma equipe do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) fechou a pista da direita. Um trecho de aproximadamente 20 metros foi recortado pela manhã e à tarde estava sendo recapeado. Para escapar da retenção, muitos veículos usaram irregularmente o acostamento.

Já na pista sentido Rio Bonito-Manilha, entre as duas localidades, onde dez homens trabalhavam com 25 toneladas de asfalto, não houve retenção de veículos, segundo um dos trabalhadores. Os operários preenchiam manualmente os buracos usando pás e regadores. “A gente sinaliza bem, não deixa formar engarrafamento”, disse o operário Sérgio Luiz, com o uniforme da R.C. Vieira Engenharia. A operação tapa-buracos, que teve o acompanhamento da Polícia Rodoviária Federal, começou por volta das 7h, com cerca de 20 operários nesses dois pontos. A estimativa é que a operação dure cerca de seis meses. A BR-101 foi alvo de disputa entre Dnit e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), do Estado do Rio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui